Num verdadeiro e completo alinhamento com a nossa filosofia e valores, a ΑPIVITA cria produtos que respeitam a sociedade e o ambiente. Desde a nossa fundação em 1979, optamos por não testar a segurança, a eficácia e o impacto ambiental dos nossos produtos e matérias-primas em animais. Em vez disso, optamos por testar completamente os nossos produtos através de outros métodos alternativos válidos.

As alterações mais recentes à legislação validaram a nossa abordagem orientada pela filosofia e valores relativamente aos testes em animais. Com o Regulamento (CE) n.º 1223/2009 relativo aos cosméticos, a União Europeia baniu os testes de cosméticos em animais. Consequentemente, a partir de 11 de julho de 2013, não é permitido testar em animais qualquer produto cosmético comercializado no mercado europeu (e, felizmente, em muitos outros países que harmonizaram as respetivas legislações com o regulamento europeu). Adicionalmente, embora não proíbam oficialmente os testes em animais, muitos outros países, como os EUA e Hong Kong, já não requerem os testes de cosméticos em animais.

Adicionalmente, o Regulamento (UE) n.º 655/2013 da Comissão, de 10 de julho de 2013, especificou critérios comuns para justificação das alegações relativas a produtos cosméticos. Consequentemente, proíbe a comunicação de benefícios que são sempre necessários para a conformidade com os requisitos legais mínimos, para evitar enganar os consumidores. Neste contexto, publicitar um produto como não tendo sido testado em animais, ou fabricado sem recorrer a crueldade em animais, etc., viola os preceitos do regulamento.

Adicionalmente, a partir do momento em que a proibição dos testes em animais é definida pela legislação, existe um mecanismo de controlo em vigor e as empresas são obrigadas a comprovar a respetiva conformidade com as leis mediante pedido das autoridades competentes. As certificações por organizações e estruturas independentes não são necessárias nem obrigatórias. Com base no supramencionado, a APIVITA garante a respetiva conformidade com os regulamentos da EU ao desenvolver produtos que não são testados em animais, embora não comunique este facto como um benefício.

Siga-nos: